Faça um Tour

Conheça os novos recursos disponíveis no Novo Portal da Dead.
Clique no botão abaixo para Iniciar o Tour!

ACADÊMICAS DE PEDAGOGIA DEAD/UNEMAT APRESENTARAM TRABALHO NO SEMIEDU

ACADÊMICAS DE PEDAGOGIA DEAD/UNEMAT APRESENTARAM TRABALHO NO SEMIEDU


02/10/2017 08:18:00
Por Assessoria UFMT

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi palco, nesta segunda-feira (25), da abertura de um dos maiores e mais importantes eventos acadêmico-científicos da área na região Centro-Oeste: o Seminário de Educação (Semiedu). Em sua 25ª edição, o evento tem como temática “Educação, Diversidades Culturais, Sujeitos e Saberes” e consolida a parceria entre as Instituições Públicas de Ensino Superior (IPES) do Estado – UFMT, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) e Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). 


A reitora da UFMT, professora Myrian Serra, ressaltou a importância do evento para a Instituição e para o Estado de Mato Grosso. Em sua fala, aproveitou para lembrar a dificuldade pela qual passam as instituições de ensino públicas do País, devido à falta de recurso e os contingenciamentos sofridos pela Educação, o que tem, segundo a reitora, diminuído a capacidade de realização da Universidade. “Continuamos pesquisando e produzindo quase toda a geração científica e tecnológica desse País”, assegurou a professora Myrian Serra.


A reitora também destacou a relevância do tema numa época, segundo ela, em que os direitos de algumas minorias, como os indígenas e quilombolas vêm sendo atacados. “Que este evento seja um espaço onde nós possamos resistir a esse momento e vamos eleger a educação como base dessa resistência, a fim da alcançarmos o País que desejamos”, pontuou. 


Diversidade e ampliação de parcerias


Nesta edição, o Semiedu registrou aproximadamente três mil inscrições provenientes de todo o Brasil e também de vários países da América Latina. “Escolhemos o tema da diversidade, porque diante de tantas diferenças que perpassam a Educação, a escola ainda tem dificuldades para lidar com elas, e esse encontro oferece aos professores, pesquisadores e pensadores um espaço para reflexão sobre como podemos contribuir para, senão acabar, diminuir a desigualdade e a exclusão no ambiente escolar”, explicou a professora Suely de Castilho, do comitê organizador. 


“A temática é pertinente pois reflete a necessidade de nós professores e pesquisadores reconhecermos a nossa responsabilidade pelo espaço que ocupamos enquanto educadores e o sentido que damos à educação que professamos”, assinalou a professora Nilce Vieira, também coordenadora do Semiedu. Ainda segundo ela, neste ano o evento trouxe uma nova concepção pare este ano, qual seja a consolidação e ampliação da parceria já existente entre as IPES. A ideia, segundo a coordenadora, é ampliar essa união para outras Instituições do Centro-Oeste e Norte do País. 


A reitora da Unemat, professora Ana Maria Di Renzo, também destacou a relevância da parceria com a UFMT como poderoso instrumento na busca de uma política pública forte para o ensino superior no Estado de Mato Grosso. “Espero que essa parceria se torne referência para outras universidades do País”, expressou a reitora. Outro fator pontuado pela reitora foi a importância desse seminário para a reflexão acerca da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que está sendo construído no País. “Precisamos ficar atento para que essa base comum não apague justamente a diversidade que nos constitui, que não apague as nossas possibilidades de pró-atividade, num país que se faz com base em suas assimetrias”, alertou.


A pró-reitora de pós-graduação, professora Ozerina Victor de Oliveira, ressaltou que o sucesso do 25º Semiedu é o resultado de uma conquista de cada estudante e professor de graduação e da pós-graduação que atuaram ao longo desses 25 anos de realização do evento e destacou a importância da parceria entre as instituições de Ensino do Estado e dos grupos de pesquisa da UFMT na consolidação e na profissionalização do Seminário. “Nós, enquanto Instituição, enxergamos o sucesso do Semiedu, como resultado dos esforços de todos os grupos já mencionados, sendo inclusive um fator importante no conceito cinco conquistado pelo PPGEdu, tornando um dos seis programas da Universidade que possui a nota máxima da Capes”, ressaltou a pró-reitora. 


Pluralidade e profundidade


O diretor do Instituto de Educação (IE), professor Silas Borges Monteiro, lembrou que o Semiedu é um dos eventos sobre Educação mais antigos da UFMT, e possui a característica da pluralidade e da profundidade com que os temas são discutidos. Além disso, acrescenta o diretor, o seminário se mostra de grande importância para o Sistema Público de Ensino, porque, segundo ele, é onde os professores da Rede podem debater os temas que estão presentes no seu dia-a-dia. Com relação ao tema do Semiedu, Silas Borges diz ser muito oportuno “Vivemos um tempo de absurda intolerância, as possam não toleram a diferença, e quando esse tema é trazido por evento desse porte, não tem como não ganhar relevância”, destacou o professor. 


A abertura contou com as apresentações culturais do acadêmico de Química, Lucas Renon, que tocou no violoncelo os clássicos o “Lago dos Cisnes” e “Cinema Paradiso”, além da tradicional performance do professor Abel Anjos e sua Viola de Cocho, que emocionou a plateia com seus causos e sua música. Na sequência, o professor Carlos Roberto Jamil Cury, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), ministrou a conferência de abertura, que abordou o tema “Desafios e tensões do tempo presente: 20 anos após LDB”. 


Fizeram também parte da mesa de abertura a Pró-Reitora de Ensino de Graduação, professora Lisiane Pereira de Jesus; a reitora em exercício do IFMT, professora Gláucia Mara de Barros; o pró-reitor de Ensino do IFMT, Carlos Câmara; a coordenadora do PPGEdu, professora Rute Cristina Domingos de Palma; o representante da Universidade Federal de Rondônia (Unir), professor Josenir Barros; e o Pró-Reitor Administrativo, Bruno César Souza Morais. 


Mais Semiedu
A programação do evento, que neste ano ficou a cargo dos grupos de pesquisa Educação Quilombola e do Campo (GPECQ); e Estudos em História da Educação, Instituições e Relações de Gênero (GPHEG), segue até quarta-feira (27) com palestras, conferências, mesas-redondas, comunicação oral dos Grupos de Trabalhos (GTs), apresentação de pôsteres e performances culturais. 


Paralelamente ao Seminário, ocorre a primeira edição do Seminário “Educação Popular, Trabalho, Sujeitos e Diversidades”, a XI Jornada Desigualdades Raciais na Educação Brasileira; o Simpósio Formação de Professores na Amazônia Brasileira, o III Encontro Territorial de Mulheres; o IV Simpósio Internacional Merleau-Ponty Vivo e Paulo Freire: 20 anos de sua partida, o II Simpósio Crianças e Saberes da Infância, a II Feira Itinerante do Território da Cidadania da Baixada Cuiabana; e o XVI Encontro Estadual do Fórum Permanente de Debates da Educação de jovens e adultos de Mato Grosso.

Acadêmicas do Curso de Pedagogia da Diretoria de Educação a Distância - Unemat, ALCILÉIA MACHADO DA SILVA, MARTA SANTANA DE PINHO  SCÁRDUA junto com a Tutora DAYANE FÉLIX DE SOUZA e coorddenadora do polo de Diamantino  Carla Adriana Rossi Ramos participaram Seminário Educação (SemiEdu), com a apresentação do trabalho intitulado ESTÁGIO SUPERVISIONADO: A EXPERIÊNCIA DOCENTE EM SALA DE EDUCAÇÃO INFANTIL





Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
Pró-Reitoria de Ensino de Graduação - PROEG
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PRPPG
Diretoria de Gestão de Educação a Distância - DEAD
Universidade Aberta do Brasil - UAB

Desenvolvidor por: NTI/DEAD